quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Bem-vinda ao meu Mundo.

Postado por Islla Lopes às 13:21

Há quanto tempo não vejo vocês... a criatividade não andou colaborando nesses últimos dias ):
Mas, cá estou. Com um conto bem "dramático". Me inspirei em um trechinho que havia lido num tumblr porém, não lembro qual. Resolvi incrementar e criar toda uma história. Espero que gostem.

Raquel, quatorze anos, uma menina inteligente, bonita e rica que esperava ansiosamente por sua festa de quinze anos, pois seus pais havia lhe prometido uma viagem num cruzeiro por sete dias. Todos os momentos antes de sua viagem pareciam nunca ter fim. Ela teria tomado a decisão certa, aproveitar alguns dias longe de casa, longe da sua cidade pequena e pacata. Mas mal sabia o que essa ausência lhe causaria.

Finalmente o dia do embarque. Raquel estava paralisada e encantada com tudo que avistava. Despediu-se de seus pais com um nó na garganta e ao mesmo tempo, um sorriso imenso em seu rosto. Anestesiada por fortes sensações, sem perceber, na rampa do navio ela acidentalmente esbarra em um moço alto, de boa postura e com aproximadamente uns 20 anos. Ela desculpa-se e diz que não conseguiu avistá-lo devido à animação momentânea.

O rapaz de boa pinta chama-se Raul. Inteligente e bem sucedido, resolveu viajar a descanso e, por ironia do destino ou não, faria o mesmo cruzeiro que Raquel. O encanto dos dois era visível, e como eram dois desconhecidos dentro daquele imenso paraíso, resolveram também, aproximar-se e criando um vínculo duradouro de amizade por sete dias. Mas, o acaso não seria tão impiedoso assim com os dois jovens, e mal sabia Raquel, que Raul ficaria eternamente presente em sua vida.

Já no primeiro dia longe de casa, a menina bateu várias fotos para guardar de recordação, tomou sol em uma das belas piscinas do navio, conheceu várias pessoas, e cada vez ficava mais próxima de Raul. O primeiro jantar da noite, foi muito elegante, típico jantar para conhecer o comandante e todos que faria aqueles sete dias inesquecíveis.

Raquel era uma menina nova, com pouca idade e muita disposição. Ficava fascinada com cada passo que dava. Raul queria tranqüilidade, porém, aquela garota a tirava a paz e o sossego. Não demorou muito para os dois passarem da grande amizade, a um belo romance de verão. A cabine dos dois era próxima, então em noites estreladas, eles saiam escondidos e iam conversar sob a luz da lua. Falavam sobre tudo. Contavam cada história bisara de suas vidas. Raquel falava muito de como aquele cruzeiro era importante, e o quanto Raul, havia mudado as suas expectativas.

Eles se envolviam de uma maneira surpreendente. Raul disse em certa noite, sussurrando no ouvido de Raquel:

_ Você era mais do que eu merecia!
E a menina respondeu com o coração pela boca: _ Eu nunca desejei alguém dessa maneira.

Apaixonados. Essa palavra os definia. A paixão era visivelmente avassaladora, prendeu Raquel de tal maneira surpreendente. Ela desejava mais do que qualquer coisa que aqueles dias nunca tivessem fim! Embora, morassem em cidades próximas, ainda sim o relacionamento seria dificultoso. No penúltimo dia daquela doce história, eles aproveitavam ao máximo. Almoçaram juntos, passaram a tarde toda aproveitando o finalzinho daquele romance. Ao pôr do sol, Raul falava em forma de agradecimento a Raquel o quão bem ela fez a ele! O quanto foram magníficos os momentos juntos.

Após o jantar, foram desfrutar a última festa dentro do navio. Muitas bebidas, mais um gole. A Cabeça da menina rodava e mesmo ciente do que estava prestes a fazer, ela precisava beber mais um pouco. Em sua cabine, Raquel entregou o presente mais valioso naquele momento: sua virgindade. Sem medo do arrependimento, sem receio do depois, ela apenas queria amar e aproveitar aquele momento sublime. E assim foi. Sem ter noção do que a aguardava.Ao despertar-se percebeu que Raul já havia partido e não o encontrara em nenhum canto do imenso navio. Mas, percebeu uma singela lembrança exposta em seu criado mudo. Uma caixinha prata e um bilhete com as seguintes palavras: Abra somente em sua casa!

Acabou. O sonho de Raquel estava no fim. A sua realidade era mais cruel do que imaginara. O que restou daquele sonho? Lembranças em sua memória, e algumas fotografias. Chegou à casa excitada com o seu presente e muito curiosa. Deu um beijo em seus pais, agradeceu pelo presente de aniversário. Subiu as escadas depressa, sentou em sua cama e com algumas lágrimas de saudade abriu sua caixinha misteriosa dentro, havia uma rosa preta e murcha e um bilhete, dizendo: “Bem vinda ao mundo da Aids. ”


2 comentários:

may disse...

nossa isllaa, ameeeeeeeeeeeei! muito surpreendente o final, adorei mesmo! Escreva mais contos como esse :D

Islla Lopes disse...

Ain obrigada May!!! fico feliz mesmo, vou tentar me inspirar mesmo hihiih

 

What you want? Template by Ipietoon Blogger Template | Gift Idea